TOLEDOT

Posted on novembro 17, 2020

TOLEDOT

Comunicação é Importante

O rabino Sacks z”l preparou um ano inteiro de  Covenant & Conversation  para 5781, baseado em seu livro Lessons in Leadership. O Escritório do Rabino Sacks continuará distribuindo esses ensaios todas as semanas, para que as pessoas ao redor do mundo possam continuar a aprender e se inspirar em sua Torá.

O Netziv (Naftali Zvi Yehuda Berlin, 1816-1893, reitor da yeshiva em Volozhin) fez a observação astuta de que Isaac e Rebeca parecem sofrer de falta de comunicação. Ele observou que o “relacionamento de Rebeca com Isaac não era o mesmo que entre Sara e Abraham ou Rachel e Yaacov. Quando eles tinham um problema, não tinham medo de falar sobre ele. Não é assim com Rebeca.” (Ha’amek Davar para Gen. 24:65)

O Netziv percebe essa distância desde o primeiro momento em que Rebeca vê Isaac, enquanto ele está “meditando no campo” (Gn 24:63), momento em que ela desce do camelo e “se cobre com um véu” (Gên. 24:65). Ele comenta: “Ela se cobriu de admiração e de uma sensação de inadequação, como se se sentisse indigna de ser sua esposa, e a partir de então essa apreensão estava fixada em sua mente”.

O relacionamento deles, sugere o Netziv, nunca foi casual, franca e comunicativa. O resultado foi, em uma série de momentos críticos, uma falha de comunicação. Por exemplo, parece provável que Rebeca nunca informou a Isaac do oráculo que tinha antes de os gêmeos Esav e Yaacov nascerem, no qual D-s disse a ela que “o mais velho servirá ao mais jovem”. (Gênesis 25:23) Essa, aparentemente, é uma das razões pelas quais ela amou Yaacov ao invés de Esav, sabendo que ele foi o escolhido por D-s. Se Isaac soubesse dessa predição do futuro de seus filhos, ele ainda teria favorecido Esav? Ele provavelmente não sabia, porque Rebeca não tinha contado a ele. É por isso que, muitos anos depois, quando ela ouve que Isaac estava prestes a abençoar Esav, ela é forçada a um plano de engano: ela diz a Yaacov para fingir que ele é Esav. Por que ela simplesmente não diz a Isaac que é Yaacov quem será abençoado? Porque isso a forçaria a admitir que manteve o marido na ignorância sobre a profecia durante todos os anos em que os filhos estavam crescendo.

Se ela tivesse falado com Isaac no dia da bênção, Isaac poderia ter dito algo que mudaria todo o curso da vida deles e de seus filhos. Imagino Isaac dizendo o seguinte: “É claro que sei que será Yaacov, e não Esav, quem continuará a aliança. Mas tenho duas bênçãos bem diferentes em mente, uma para cada um de nossos filhos. Eu darei a Esav uma bênção de riqueza e poder: ‘Que D-s lhe dê o orvalho do céu e a riqueza da terra… Que as nações o sirvam e os povos se prostrem diante de você’. (Gênesis 27: 28-29) Vou dar a Yaacov a bênção que D-s deu a Abraham e a mim, a bênção dos  filhos  e da  terra prometida: ‘Que D-s Todo-Poderoso o abençoe e o torne fecundo e aumente seu número até que você se torne uma comunidade de povos. Que Ele possa dar a você e a seus descendentes a bênção dada a Abraham, para que possua a posse da terra onde agora reside como estrangeiro, a terra que D-s deu a Abraham.’”  (Gênesis 28: 3-4)

Isaac nunca teve a intenção de dar a bênção da aliança a Esav. Ele pretendia dar a cada filho a bênção que lhes convinha. Todo o engano planejado por Rebeca e executado por Jacob nunca foi necessário em primeiro lugar. Por que Rebeca não entendeu isso? Porque ela e o marido não se comunicaram.

Agora vamos contar as consequências. Isaac, velho e cego, sentiu-se traído por Jacob. Ele “estremeceu violentamente” ao perceber o que havia acontecido, dizendo a Esav: “Seu irmão veio enganosamente”. Esav também se sentiu traído e experimentou um ódio tão violento por Yaacov que jurou matá-lo. Rebeca foi forçada a mandar Jacob para o exílio, privando-se assim da companhia do filho que amava por mais de duas décadas. Quanto a Yaacov, as consequências do engano duraram uma vida inteira, resultando em brigas entre suas esposas e até mesmo entre seus filhos. “Poucos e maus têm sido os dias da minha vida” (Gênesis 47: 9), ele disse ao Faraó como um homem velho. Tantas vidas marcadas por um ato que nem mesmo era necessário em primeiro lugar – Isaac de fato deu a Yaacov “a bênção de Abraham” sem qualquer engano, sabendo que ele era Yaacov e não Esav.

Esse é o preço humano que pagamos por não nos comunicarmos. A Torá é excepcionalmente franca sobre esses assuntos, o que a torna um guia tão poderoso para a vida: a vida real, entre pessoas reais com problemas reais. A comunicação é importante. No princípio, D-s criou o mundo natural com palavras: “E D-s disse: ‘Haja’”. Criamos o mundo social com palavras. O Targum traduziu a frase: “E o homem tornou-se alma vivente” (Gênesis 2: 7) como “E o homem tornou-se alma falante”. Para nós, a palavra é vida. A vida é relacionamento. E as relações humanas são construídas por meio da comunicação. Podemos contar a outras pessoas nossas esperanças, nossos medos, nossos sentimentos e pensamentos.

É por isso que qualquer líder – de um pai a um CEO – deve definir como sua tarefa uma comunicação boa, forte, honesta e aberta. É isso que torna as famílias, as equipes e as culturas corporativas saudáveis. Todos devem saber quais são seus objetivos gerais como equipe, quais são suas funções específicas, quais são as responsabilidades que assumem e quais valores e comportamentos se espera que exemplifiquem. Deve haver elogios para aqueles que se saem bem, bem como críticas construtivas quando as pessoas se saem mal. A crítica deve ser do ato, não da pessoa; a pessoa deve se sentir respeitada quaisquer que sejam seus fracassos. Esta última característica é uma das diferenças fundamentais entre uma “moralidade da culpa” da qual o Judaísmo é o exemplo supremo, e uma “moralidade da vergonha” como a da Grécia antiga (ou seja, a culpa faz uma distinção clara entre o ato e a pessoa, e a vergonha não faz).

Há momentos em que muito depende de uma comunicação clara. Não é demais dizer que há momentos em que o próprio destino do mundo depende disso.

Um desses casos aconteceu durante a crise dos mísseis cubanos de 1962, quando os Estados Unidos e a União Soviética estavam à beira de uma guerra nuclear. No auge da crise, conforme descrito por Robert McNamara em seu filme The Fog of War, John F. Kennedy recebeu duas mensagens do líder soviético Nikita Khrushchev. Uma era conciliadora, a outra muito mais agressiva. A maioria dos conselheiros de Kennedy acreditava que a segunda representava os pontos de vista reais de Khrushchev e deveria ser levada a sério.

No entanto, um homem ofereceu uma perspectiva diferente. Llewellyn Thompson Jr. foi embaixador americano na União Soviética de 1957 a 1962 e passou a conhecer bem o presidente russo. Ele até passou um período de tempo morando com Khrushchev e sua esposa. Ele disse a Kennedy que a mensagem conciliatória soava como a opinião pessoal de Khrushchev, enquanto a carta agressiva, que não soava como ele, provavelmente fora escrita para apaziguar os generais russos. Kennedy ouviu Thompson e deu a Khrushchev a oportunidade de recuar sem perder prestígio – e o resultado foi que uma guerra potencialmente devastadora foi evitada. É assustador imaginar o que poderia ter acontecido se Thompson não estivesse lá para estabelecer qual foi e qual não foi o verdadeiro ato de comunicação.

Muitos aspectos de nossas vidas são afetados pela desinformação e aprimorados pela comunicação genuína. É por isso que amigos, pais, parceiros e líderes devem estabelecer uma cultura em que haja comunicação honesta, aberta e respeitosa, e isso envolve não apenas falar, mas também ouvir. Sem ela, a tragédia está à espreita.

 

Texto original “Communication Matters” por Rabbi Lord Jonathan Sacks

 

PARASHIOT mais recentes

PARASHIOT MAIS RECENTES

VAYESHEV

O Heroísmo de Tamar Esta é uma história verídica que aconteceu na década de 1970. O rabino Dr. Nahum Rabinovitch, então Dir...

Leia mais →

VAYSHLACH

A Parábola das Tribos Do início ao fim, Gênesis capítulo 34 conta uma história assustadora. Dinah, filha de Jacob – a ...

Leia mais →

VAYETSÊ

Tempo para Amor, Tempo para Justiça O Judaísmo é supremamente uma religião de amor: três amores. “Amarás o Senhor teu D-s ...

Leia mais →

HORÁRIOS DAS REZAS